Em comemoração aos seus 50 anos, a Federação Pan-Americana de Consultores (FEPAC) instituiu o Prêmio FEPAC de Reconhecimento, cujo objetivo é reconhecer os sucessos das empresas vinculadas às associações membro da FEPAC. O prêmio valoriza os trabalhos de engenharia consultiva de destaque no que se refere ao desenvolvimento econômico e social.

Dos nove trabalhos brasileiros que estavam inscritos, apenas o projeto de gerenciamento da instalação de cisternas em áreas de escassez hídrica dos estados de Goiás, Alagoas e Minas Gerais da TPF Engenharia recebeu o Prêmio de Excelência. Ada Ravana, responsável pela gestão do projeto, recebeu a premiação em Lima, Peru, em nome da TPF. Os outros vencedores foram representantes do México, Argentina e Espanha.

Os critérios estabelecidos para a seleção dos vencedores foram: qualidade, inovação, excelência profissional, integridade, transparência, sustentabilidade e responsabilidade social. A FEPAC, com base nas informações fornecidas por cada um dos candidatos, atribuiu prêmios de “Grande Prêmio de Excelência”, “Prêmio de Excelência” e “Prêmio de Menção Honrosa” para os projetos de engenharia que mais se destacaram por sua excelência técnica, inovação, sustentabilidade e valores em benefício da sociedade. A comissão julgadora foi formada por ex-presidentes da federação.

O reconhecimento da FEPAC comprova o compromisso que temos com os nossos valores, a nossa missão e a nossa visão. TPF Engenharia: building the world, better.

O projeto

R$ 300.000.000 investidos

+50.000 cisternas geradas

+50.000 famílias beneficiadas

O projeto impôs um grande desafio logístico: mais de 50 mil cisternas foram entregues e instaladas na casa de cada um dos beneficiários – que ainda precisaram ser cadastrados (muitas vezes em áreas de difícil acesso no interior de Goiás, Alagoas e Minas Gerais). Além disso, cada obra de implantação das cisternas tinha características específicas, de acordo com as condições do seu local de instalação.

Elaboramos um modelo inteligente de gerenciamento para vencer a complexidade do projeto. Cada cisterna saía da fábrica com uma tag QR Code que permitia o seu rastreamento até a etapa de instalação para o usuário. Sua localização era registrada por meio da leitura das tags em smartphones que enviavam as informações diretamente para um banco de dados em nuvem. Assim, foi possível acompanhar cada uma das cisternas desde a sua fabricação até as etapas subsequentes: transporte, instalação, verificação de qualidade e medição. Esse modelo gerenciou a instalação das mais de 50.000 cisternas, gerindo as diversas empresas subcontratadas (empreiteiras) do cliente, percorrendo uma distância total de 6.900.000 Km entre os municípios beneficiados (uma distância 18 vezes maior que a distância entre a Terra e a Lua!).