Foram inaugurados em 23 de fevereiro três lotes do primeiro trecho do Cinturão das Águas do Ceará (CAC), infraestrutura hídrica considerada essencial para garantir a segurança hídrica da região metropolitana de Fortaleza.

Construída pelo governo do estado e com supervisão de obras realizada pela TPF Engenharia, a obra recebeu investimentos de R$ 1,2 bilhão do Governo Federal, que incluem o trecho finalizado e outros ainda em execução. As atividades da TPF foram desenvolvidas nos setores de operações, planejamento e controle, acompanhamento socioambiental das obras e de administração e apoio.

O trecho inaugurado, que corresponde aos lotes 1, 2 e 5, faz a transposição de água para o Riacho Seco, saindo do leito natural até os Rios Salgado e Jaguaribe e, por fim, o Açude Castanhão, que posteriormente transfere água para a Região Metropolitana de Fortaleza, beneficiando 4,5 milhões de pessoas. Também receberão as águas do CAC 24 cidades cearenses localizadas entre a Barragem de Jati e a Travessia do Rio Cariús.

Em todo o projeto, são 145,3 km de caminhamento, compreendendo segmentos de canal a céu aberto, túneis e sifões, com a função de aduzir a água derivada da barragem Jati, no município de mesmo nome, situada no Eixo Norte da transposição do Rio São Francisco, na região hidrográfica do Rio Salgado, até as nascentes do Rio Cariús, no município de Nova Olinda, na região do Alto Jaguaribe.

Presente à cerimônia, o governador do Ceará, Camilo Santana, ressaltou a importância da água na vida das pessoas. “Nenhum país, nenhum estado se desenvolve sem ter água. Água e energia são fundamentais na infraestrutura de qualquer região, daí a importância dessa obra estruturante, destacou.

Principais atividades desenvolvidas pela TPF Engenharia nos lotes 1, 2 e 5 do CAC

Área de Operações

  • Verificação da locação das obras, liberando-as para execução;
  • Verificação do controle geométrico de todos os itens necessários na obra e liberá-los para execução;
  • Acompanhamento da coleta de amostras para todos os ensaios específicos;
  • Acompanhamento e fiscalização dos ensaios de campo a serem realizados pelas Empreiteiras;
  • Manter rigoroso controle da qualidade dos serviços executados;
  • Acompanhar todos os processos construtivos de todas as obras e serviços.

Área de Planejamento e Controle

  • Organização e atualização do arquivo técnico do projeto;
  • Controle de execução da obra pelo Cronograma Físico-Financeiro, atualizando-o
    permanentemente;
  • Entrega dos Relatórios/Produtos de todos os segmentos dos serviços de supervisão dos trabalhos executados pelas empreiteiras;
  • Acompanhamento e gerenciamento do levantamento de insumos necessários para agilizar licenciamentos ambientais, caso existentes;
  • Realização de todo controle geométrico das obras através de levantamentos topográficos de verificação e aferição das referências planialtimétricas e das dimensões definidas em projeto;
  • Realização do controle tecnológico de solos e concreto através do acompanhamento de todos os ensaios procedidos pela Empreiteira;

Área Ambiental e Social

  • Acordo, aprovação e revisão do planejamento ambiental de obras, por meio de reuniões mensais com a coordenação ambiental do programa e os responsáveis ambientais da Construtora;
  • Verificação das atividades executadas em relação aos requisitos ambientais estabelecidos para as obras e subprogramas ambientais a elas ligados com inspeções periódicas;
  • Atender às exigências dos órgãos ambientais relativas ao processo de licenciamento do empreendimento e às recomendações das entidades financiadoras internacionais;
  • Avaliação das atividades das equipes ambientais das empresas construtoras;
  • Sugestão de ações e procedimentos, de modo a evitar, minimizar, controlar ou mitigar impactos potenciais.

 

Fonte: Gov.br